Imperatriz do Irã: 'Sei que a luz prevalecerá sobre a escuridão'


Sua Majestade a Imperatriz Farah Pahlavi do Irã emitiu nota oficial acerca dos protestos que ocorrem desde o dia 28 no país. Esperançosa, ela confia na disposição dos iranianos e prevê um futuro melhor para o seu povo.

A IMPERATRIZ CONSORTE DO IRÃ: EXILADA, SUA MAJESTADE VIVE EM PARIS (DOMINIK BUTZMANN/LAIF)

Por meio de seus canais oficiais nas redes sociais, a Imperatriz Farah Pahlavi do Irã emitiu, no último dia 28, seu primeiro pronunciamento público acerca dos protestos que ocorrem no país. No comentário, publicado no dia que as manifestações tomaram lugar, Sua Majestade mostrou empatia para com as famílias que tiveram seus parentes assassinados durante os protestos: "Será possível que esse povo sofrido, que apenas deseja viver melhor em um país rico como o Irã, merece ser tratado assim, de modo tão cruel, por esses que comandam a nação?", questionou.

Na véspera do ano novo, dia 31 de dezembro, Sua Majestade decidiu emitir uma nota oficial. Reproduzimos abaixo o texto na íntegra:

Meus Caros Iranianos,

Já fazem aproximadamente 39 anos que vocês vivem sob o fardo da corrupção e sofrendo violências deste regime. Vocês pacientemente tem esperado que, talvez, em algum momento, os governantes despertassem para o que é certo, permitindo que o Irã alcançasse a destacada posição que lhe está reservada na comunidade internacional.

Mas isso não aconteceu. A vida tem se mostrado cada vez mais difícil, a esperança por um futuro melhor desapareceu, e vocês decidiram demandar a posição que merecem neste mundo de constante evolução.

Os Iranianos clamam por um Irã progressista e ilustrado, por aquele país que demonstrou, durante sua longa história, como salvaguardar sua terra e cultura. Minha esperança reside em ver um livre, esclarecido e orgulhoso Irã, com sua integridade territorial conservada intacta.

Estou convencida de que o povo do Irã, como a mítica Fênix, irá ressurgir das cinzas, vencendo todas as dificuldades que enfrenta. Sei que a luz prevalecerá sobre a escuridão.

Farah Pahlavi

Imperatriz consorte do Irã

A FAMÍLIA IMPERIAL DO IRÃ, EM FOTOGRAFIA DE 1967: O XÁ MOHAMMAD REZA PAHLAVI, A IMPERATRIZ FARAH DIBA E O PRÍNCIPE IMPERIAL DO IRÃ, REZA PAHLAVI

(UNIVERSAL HISTORY ARCHIVE/GETTY IMAGES)

Esposa do último Xá do Irã, Mohammad Reza Pahlavi, Farah Diba Pahlavi foi Imperatriz do Irã de 1959 a 1979, quando a Revolução Iraniana resultou na queda da Monarquia. Sob o reinado do Xá, o Irã experimentou um governo secular e pró-Ocidente, vivenciando um programa de grande modernização. À Monarquia deposta, sucedeu um Estado teocrático islâmico, sob o regime dos Aiatolás.

A dinastia Pahlavi é altamente respeitada no Irã, e os manifestantes tem requisitado o filho do último Xá - o Príncipe Herdeiro Reza Pahlavi - como seu líder. Em diversas cidades do país, veículos da imprensa nacional e internacional registram clamores pela restauração da Monarquia e louvações ao Príncipe Herdeiro: "Príncipe Reza, queremos que você volte para o Irã!", gritam iranianos.

MANIFESTANTE LEVANTA CARTAZ COM FOTO DO PRÍNCIPE HERDEIRO (REPRODUÇÃO/ROYAL CENTRAL)

Partidos e organizações monarquistas são estritamente proibidos pelo governo do Irã, e monarquistas, bem como simpatizantes do regime monárquico, estão sujeitos à prisão, se descobertos.

Já foram registradas mais de 20 mortes, incluindo a de crianças, e cerca de 450 prisões durante os protestos, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU).

VIA ROYAL CENTRAL

#Irã #ImperatrizdoIrã #Protesto #Manifestação #FarahPalahvi #RezaPahlavi #PríncipeImperialdoIrã #PríncipeHerdeirodoIrã

Banner wallpaper bandeira imperial.png

Todos os direitos reservados © Diga Sim à Monarquia - 2014-2020